Projeção de Fluxo de Caixa para 2019: dicas para não errar

Se o Fluxo de Caixa é uma poderosa ferramenta para um correto controle financeiro, o Fluxo de Caixa Projetado também é peça chave para analisar esses dados para o futuro.

O Fluxo de Caixa Projetado permite prever ações futuras com base nos dados registrados, diariamente, no Fluxo de Caixa e identificar possíveis alterações entre os períodos de recebimento e pagamento das contas.

Mas será que você realmente sabe como projetar o seu Fluxo de Caixa?

Pensando nisso, confira aqui as principais informações para que você evite os erros mais comuns na projeção de Fluxo de Caixa e as melhores práticas para projetar os dados financeiros.

Vamos lá?

Principais erros cometidos em projeções de Fluxo de Caixa

Não categorizar os dados

Este é um erro bastante comum nas empresas e não afeta apenas o Fluxo de Caixa Projetado, mas o financeiro como um todo.

Se você não cria categorias para os dados financeiros, é impossível saber de forma detalhada como funciona cada gasto.

Desta forma, é possível que você também não consiga identificar algumas despesas que estejam afetando negativamente a empresa, o que pode trazer problemas no futuro e até mesmo causar prejuízos.

Logo, é importante criar categorias e, por meio delas, analisar a evolução dos gastos, entender melhor as receitas e o que tudo isso representa se comparado ao faturamento.

Com isso, é possível saber quais custos podem ser diminuídos ou cortados e quais não são essenciais para a empresa.

Não ser realista com o faturamento da empresa

A receita da empresa é um elemento bastante importante para o Fluxo de Caixa Projetado e não ser realista com relação a esse dado pode prejudicar todo o planejamento financeiro.

Logo, é importante utilizar as categorias que você já fez antes e trabalhar com projeções, pesquisas de mercado e outros dados que podem ajudar as entradas.

Portanto, é fundamental ser o mais realista possível e não criar uma expectativa de receita que não irá se concretizar, para não prejudicar a projeção de fluxo de caixa.

Não levar em conta a sazonalidade

Não levar em consideração as épocas de maior e menor volume de vendas é um dos grandes erros na hora de fazer a projeção de fluxo de caixa.

Afinal, dependendo do tipo de atividade, uma época de baixa estação pode causar grandes prejuízos para a empresa.

Por isso, levar em consideração a sazonalidade do negócio na hora de fazer o Fluxo de Caixa Projetado garante que a empresa esteja preparada.

Ao levar em consideração a sazonalidade do seu negócio, é possível criar um fundo de reserva para garantir que seja possível arcar com todas as despesas ainda que a empresa esteja vendendo pouco.

4 dicas para não errar no Fluxo de Caixa Projetado

Conheça todas as entradas e saídas da empresa

Para não errar, é importante saber, detalhadamente, quais são todos os custos fixos e variáveis da empresa, o dinheiro em caixa, das entradas e o que está a receber (a vista e parcelado), além dos investimentos previstos por meio de controle e análise.

Afinal, ter noção de todos os dados presentes no fluxo de caixa é apenas o primeiro passo para um excelente fluxo de caixa projetado.

Mantenha todas as informações atualizadas

O planejamento e o orçamento são fundamentais para toda empresa.

No entanto, quando os cenários mudam, as informações projetadas também precisam mudar.

Isso se chama Revisões Orçamentárias e devem ser feitas sempre que algum cenário muda ou quando o planejamento deixa de fazer sentido.

Saber onde investir e economizar

Com a correta utilização do Fluxo de Caixa Projetado, também é possível saber quando cortar gastos e quando fazer algum investimento.

Além disso, é possível traçar as melhores estratégias e conhecer todo o ciclo das vendas e dos clientes, para que, desta forma, a empresa não passe por dificuldades financeiras.
Logo, conhecer esses ciclos permite saber quanto a empresa precisará de recursos em determinados períodos e se ela terá esses valores em caixa.

Além disso, é possível saber também se será necessário algum investimento, se haverão outras necessidades e se o dinheiro em caixa será suficiente para essas necessidades.

Analise os demonstrativos regularmente

Planejar e controlar o realizado não são suficientes se não houver uma análise e tomada de decisões com base nas informações geradas.

Os relatórios de Fluxo de Caixa Projetado e de Demonstrativo de Resultados devem ser analisados regularmente para a empresa entender o que precisa ser melhorado e onde é possível explorar mais.

Percebe o quanto o Fluxo de Caixa Projetado é importante para tomar as melhores decisões?

Se você se dedicar para entendê-lo e aplicar corretamente na sua empresa, ele será um importante aliado, sendo possível saber quanto será consumido de recursos para pagamentos, quanto irá sobrar e até mesmo se vai faltar algum recurso em determinados períodos, permitindo ações preventivas.

Para conhecer ainda mais sobre esse assunto e otimizar o Fluxo de Caixa da sua empresa, leia: Fluxo de caixa: tudo o que você precisa saber para ter sucesso e potencializar seu negócio

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *